Aberração consumista: abaixo as marcas...

Em tempo de crise econômica, quando o número de negativados cresce exponencialmente, é claro que, consequentemente, caem o número dos consumidores. Todos apertam o cinto para atravessar a crise, agravando-a mais ainda, já que apertar o cinto significa consumir menos ou não consumir. Parece óbvio que a sociedade pós-moderna, baseada no consumismo desenfreado, em que todos tentam ser felizes na hora da compra, preenchendo um vazio existencial feito de superficialidades e banalidades, estaria fadado ao fracasso, já que o planeta não aguentaria tal modelo, se adotado pela humanidade inteira. Mas, por enquanto, o capitalismo neoliberal e o avanço da direita no mundo demonstram que o consumismo terá ainda fôlego para perdurar por um bom tempo. De outro lado, em livros de Marketing encontramos uma pirâmide dos tipos de consumidores e, absurdamente, não me vi...

read more

Onde está a poesia?

              A pergunta título tem, na sua ausência em nosso mundo pós-moderno, um sentido descritivo do que nos transformamos. O romantismo, que outrora era parte indissolúvel da civilização ocidental e sua cultura, desapareceu quase por completo. A ênfase romântica nos sentimentos em vez da razão foi transformada na ênfase nos instintos básicos, o amor foi reduzido ao sexo, o pão de cada dia transformado em ganância por riquezas, a sofisticação da elegância virou ostentação, o refinamento de como agradar ao ser amado e seus ritos deu lugar a uma troca superficial de favores e interesses, tudo fugaz e sem fundamento ou propósito.             Na sociedade pós-moderna os poetas estão passando fome, as editoras não publicam poesia e os leitores não mais a leem. No cinema, a narrativa lenta com fotografia de esmero estético,...

read more

Maçonaria e Pós-Modernidade

              Ao ser convidado a contribuir com uma análise da Maçonaria na contemporaneidade, pensei em fazer um estudo comparativo entre os valores de uma instituição milenar – a Maçonaria – e os valores da sociedade atual, associada ao fenômeno da pós-modernidade. De um lado cabe analisar como a Maçonaria tem persistido no tempo e qual será seu futuro, de outro, necessário se faz ver que atitude ela deve adotar em relação à contemporaneidade. Deve ser a Maçonaria um reduto de conservadorismo, resistindo às mudanças do tempo? Ou deve estar ela em constante processo de construção, renovação e adaptação à modernidade? Em suma: como uma instituição, supostamente milenar – a Maçonaria – poderá subsistir na pós-modernidade?               Todas as instituições milenares, como a Igreja Católica Apostólica Romana ou a Igreja Ortodoxa, são exemplos similares de...

read more

Contestando o Pessimismo Global...

             Quando pensamos nos tempos atuais, prolifera o pessimismo. Os autores que tratam da pós-modernidade ou hipermodernidade, como quiserem chamar o nosso tempo, escrevem livros com títulos como: A Era do Vazio, O Mal-Estar na Pós-Modernidade, A Era da Decepção, A Era da Incerteza, A Era da Insegurança, e outros mais, todos tratando de uma época que, mais adiante, talvez se queira chamar de Nova Idade das Trevas. É preciso destacar que este enfoque predominantemente negativo vem de um olhar que destaca o patológico e o horror, como o faz a imprensa sensacionalista, pois estes mesmos autores não deixam de destacar, conjuntamente, aspectos promissores e positivos de nossa época. E, quando aceitamos ler outras leituras, vemos que há, de outro lado, otimistas, até exagerados como Domenico De Masi, frente ao nosso otimismo moderado.            ...

read more
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com