O Sorriso Amarelo

Nada representa melhor nossa vida do que o “riso amarelo”. Amarelo não porque é uma obra de Van Gogh, mas porque o que mais fazemos na vida é engolir em seco, dar a volta por cima e sorrir amarelo, como que dizendo: que fazer? Não que nada possa ser feito, sempre fazemos tudo o que é possível, mas nem tudo está ao nosso alcance, por exemplo, a opinião pública predominante, refletida nos políticos escolhidos pelo voto e que exercem o poder, e a mídia que faz o jogo dos fortes. Como vivemos numa era de extremos, fica cada vez mais difícil o diálogo, o consenso, o entendimento, por isto se diz que a democracia está em risco. Mas o riso amarelo é também a resposta ao fato de que os privilegiados sempre escapam, no...

read more

O Controle da Raiva

Vivemos tempos de discórdia, em que a violência aumenta no mesmo nível em que aumentam a radicalização e a incapacidade de diálogo. Daí ser pertinente pensar na prática budista que prega o adaptar-se às circunstâncias e o não responder a elas pela raiva. O mestre Bodidharma afirma que todos deveriam aceitar os acontecimentos nefastos sem reclamar de injustiça, considerando que não sabemos que karma trazemos do passado, ou melhor, que ações fizemos que produziram os frutos que estamos colhendo agora. Concordo de que é aconselhável não se perturbar com as adversidades, porém, discordo da visão de que estamos aqui para purgar culpas, e que a melhor resposta seria a aceitação, o que daria à Marx razão quando afirma que “a religião é o ópio do povo”. Até podemos estar colhendo erros do passado, mas...

read more

A Democracia sob Ataque

A extrema direita, assim como a extrema esquerda, sempre teve vocação autoritária; com o Governo Bolsonaro não é diferente. São pilares básicos da democracia eleições livres, separação entre os poderes, liberdade de imprensa, garantia dos direitos individuais e da livre manifestação do pensamento. Isto implica na existência de uma oposição coexistindo com a situação dentro das regras democráticas, ou seja, dialogando sobre os rumos da Nação. Quando um presidente ataca a imprensa por fazer o seu papel, debocha e ofende os estudantes universitários que protestavam com justiça sobre os cortes de verbas na educação e na pesquisa científica, e compartilha nas redes sociais publicações que defendem o fechamento do Congresso Nacional e da Suprema Corte do país, está apostando no golpe e num Governo ditatorial. Bolsonaro insufla seus seguidores a saírem às ruas no...

read more

Bolsonaro e a estratégia das abobrinhas...

O colunista Bruno Boghossian acertadamente aponta que “Bolsonaro quer consertar a geladeira enquanto a casa pega fogo”, ou seja, quer administrar picuinhas e não o essencial. A economia patina, a renda cai, em janeiro e fevereiro as pessoas compraram 5,2% a menos de itens básicos, a taxa de desemprego é mais que o dobro da média mundial (12,5% em 2018), o Brasil é o 9º país mais desigual do planeta, o meio ambiente se deteriora a olhos vistos, enquanto vemos ações do presidente como: 1.     Extinguir o horário de verão; 2.     Censurar (inconstitucionalmente) uma peça publicitária do Banco do Brasil por abordar a diversidade,  público-alvo da propaganda; 3.     Retirar os Cursos de Sociologia e Filosofia das Universidades Federais e dos auxílios de pesquisa do CNPQ e CAPES; 4.     Atenuar a infração aos motoristas infratores; 5.    ...

read more

Quase uma Oração

A vida é linda, apesar do sofrer predominar dentro dela. É que mesmo que surjam problemas e dificuldades, crises e períodos de pobreza e luto, os momentos de alegria estão juntos deles, porque muito pouco nos basta para nos fazer rir e felizes. É suficiente olhar à volta, ver a luz do Sol, as cores nas flores e árvores, ver os rios correrem, o mar encontrando a areia e as pedras, o lago refletindo a Lua, fazendo a noite clara, enfim, basta olhar. Depois, é ter a atitude não lamuriosa ou rabugenta, que reflete frustração e descontentamento. É fácil, é só esvaziar a máquina dos desejos, é só substituir o que se quer pelo que se planeja e constrói, de modo a viver a alegria de contribuir, investir e fazer melhor. Mesmo sem ser...

read more

Ano Novo Astrológico

Feliz Ano Novo! Sim, porque foi ontem, dia 20 de março às 18h 58m, que o Sol cruzou o Equador do hemisfério sul ao hemisfério norte, dando início à primavera para o andar de cima e ao outono para nós. Como para o homem pré-histórico o inverno lembrava as glaciações, sempre havia o medo de que o frio perdurasse dando cabo da vida. Por isto o outono-inverno nos mitos está associado à morte e a primavera-verão à vida, daí que o equinócio de 21 de março (neste ano caiu no dia 20) representa a passagem da morte (inverno) à vida (primavera), ou seja, simboliza a ressurreição. Osíris, Jesus e todos os heróis que morreram e ressuscitaram, eram festejados nesta data, associada às festas de fertilidade (chegada da primavera, início do plantio) e, no calendário...

read more

O clã Bolsonaro e a bandidagem...

Causa espanto que com Bolsonaro, sua família, seu partido e seu Governo, esteja acontecendo o que já aconteceu com Collor de Mello e o PT. Ou seja, ganha-se a eleição com um discurso anticorrupção e, pouco tempo depois, começam a aparecer fatos que demonstram que os eleitores foram ludibriados. Está na mídia: O deputado Onix Lorenzoni, que já admitiu ter recebido caixa 2 da JBS, e está hoje chefe da Casa Civil do Governo Bolsonaro, pagou, através de seu Gabinete, R$ 492 mil a empresas de contabilidade e consultoria tributária de seu amigo e filiado ao DEM, Cesar A. F. Marques. A Prefeitura de Porto Alegre e o Conselho Regional de Contabilidade estão fazendo uma auditoria nas empresas de Marques: Office RS Consultoria Sociedade Simples Ltda. ​O deputado Luciano Bivar (PE), presidente do PSL...

read more

Aberração consumista: abaixo as marcas...

Em tempo de crise econômica, quando o número de negativados cresce exponencialmente, é claro que, consequentemente, caem o número dos consumidores. Todos apertam o cinto para atravessar a crise, agravando-a mais ainda, já que apertar o cinto significa consumir menos ou não consumir. Parece óbvio que a sociedade pós-moderna, baseada no consumismo desenfreado, em que todos tentam ser felizes na hora da compra, preenchendo um vazio existencial feito de superficialidades e banalidades, estaria fadado ao fracasso, já que o planeta não aguentaria tal modelo, se adotado pela humanidade inteira. Mas, por enquanto, o capitalismo neoliberal e o avanço da direita no mundo demonstram que o consumismo terá ainda fôlego para perdurar por um bom tempo. De outro lado, em livros de Marketing encontramos uma pirâmide dos tipos de consumidores e, absurdamente, não me vi...

read more

O Brasil em marcha à ré

De início cabe esclarecer que não sou petista (nunca fui) e nem comunista, portanto, o que irei escrever não é bruxaria. Tenho pensado no tempo da ditadura militar, quando eu amava o meu país e tinha vergonha de ser brasileiro. Hoje me dou por conta que, apesar de continuar amando o meu país, voltei a sentir vergonha dele. Vejo que estamos entrando numa fase complicada, feita de passos atrás, como se, arrependidos dos avanços que tivemos, quiséssemos retroceder e reescrever a história. O Governo Bolsonaro foi eleito baseado num discurso falso, de que existe uma ameaça comunista, quando não existe mais guerra fria e a URSS acabou. No Brasil os partidos “comunistas” são comunistas só no nome, pois quando eleitos jogam o jogo que jogou o PT, ou seja, respeitam a democracia e suas...

read more

Relato de Vida

Quando escutamos ou lemos relatos sobre a experiência de quase-morte, em geral aparece neles a narrativa de que, na transição da vida para o mundo do além, vemos nossa vida, do nascimento à morte, como num filme tridimensional, em que estamos em cena e ao mesmo tempo assistimos, como nos sonhos. E todos dizem que o foco não é o que fizemos, e sim a repercussão nos outros do que fizemos, e que pequenos gestos podem se revelar mais importantes que grandes feitos. Isto é interessante e deve ser levado em consideração quando pensamos em escrever nossa autobiografia, ou seja, pensar na repercussão nos outros equivale a pensar no público leitor. Para quem se escreve: para quem lê ou para nós mesmos? Escrever para nós mesmos é válido e extremamente transformador e importante, porque...

read more

Autocontrole e Maturidade

O psicólogo C. G. Jung defendeu que o processo de individuação se dá, não só por terapia e auto esforço, mas também ao natural, pelo passar do tempo, pela maturidade. Para ele individualizar-se equivalia a se tornar mais completo, incorporando a si aquilo que algum dia não reconhecemos como nosso, ou que reprimimos ou rejeitamos como a encarnação do mal. Assim, a sabedoria dos mais velhos implica na aceitação deles de que “nada que é humano lhes é estranho”, que eles são ou foram capazes de tudo e qualquer ato, por mais tresloucado ou transgressor que fosse. Isto significa também compreender melhor a diversidade das pessoas e aceita-las como são, ou pelo menos compreende-las no sentido de tolerar suas ignorâncias, infantilidades, maledicências e agressividade. Mas a sabedoria dos mais velhos também se faz com...

read more

Haddad e a redução de danos

              O momento político é grave, todas as nossas instituições estão sendo colocadas à prova. Mas, considerando-se os riscos, é preciso assumir-se posições e não abrir brecha para omissões ou vacilações. No segundo turno das eleições presidenciais, em nome da “redução de danos”, irei votar em Haddad. Porque, apesar de todos os erros e defeitos do PT, suas lideranças possuem uma grande virtude, o respeito às regras do jogo democrático. Todos os eminentes petistas presos, inclusive o Lula, estão cumprindo suas penas e tentando safar-se apenas dentro das regras do sistema jurídico institucional. Imaginemos Bolsonaro acusado, julgado e condenado: aceitaria ele a prisão? Ou conclamaria seus seguidores a uma resistência armada, que colocaria a sociedade brasileira à beira de uma guerra civil? Continuemos imaginando um hipotético Governo Bolsonaro, por áreas, com suas consequências:...

read more

Os extremos se tocam

Diz uma conhecida e antiga máxima: “os extremos se tocam”. E eu prefiro dizer: os opostos extremos se assemelham. E isto fica muito claro no segundo turno das eleições presidenciais brasileiras, neste ano de 2018. Quando pensamos historicamente, vemos que a arte produzida pelo comunismo soviético após 1919, e os regimes fascista na Itália e nazista na Alemanha antes da 2ª guerra mundial eram muito assemelhados. Tanto o comunismo marxista quanto o nazi-fascismo defendem regimes ditatoriais; possuem inimigos internos (os burgueses para os comunistas e os judeus para os nazistas); perseguem, prendem e matam opositores; discriminam negros, ciganos, deficientes físicos, estrangeiros e homossexuais; prestam culto à personalidade de seus líderes; censuram a livre expressão da opinião, a imprensa, a liberdade de reunião e de ir e vir. A ditadura de Franco na Espanha e...

read more

Em quem votar nas próximas eleições?...

             O artigo que se segue é um artigo de opinião, portanto, não é isento ou faz uma análise neutra. Mas, ao dar minha opinião, talvez ajude um pouco os indecisos. Primeiro, cabe ser racional e não emocional quando se vota. Daí que de saída irei descartar todos os candidatos que, pelas pesquisas e outros quesitos, como tamanho de seus partidos e representatividade de seus candidatos, certamente não chegarão ao segundo turno: Álvaro Dias, João Almoedo, Henriques Meirelles, Vera, Cabo Daciolo, Guilherme Boulos, João Goulart Filho e Eymael. Portanto, não comentarei estes, apesar de alguns serem representantes de partidos autênticos, como Boulos do PSol, ou de forças políticas hegemônicas, como Meirelles do MDB. E apesar de encontrarmos, dentre estes, propostas importantes e interessantes, como a defesa da auditoria da dívida pública feita pelo João...

read more

Os gurus e as mulheres

O Sri Prem Baba, que seria palestrante em Porto Alegre, no Diwali – Festival das Luzes 2018, cancelou sua apresentação, em função das acusações de assédio sexual que recebeu de algumas discípulas. A primeira história a vir à luz trata de um casal de discípulos que solicitou ajuda do guru em função de uma crise conjugal, e o mestre, ao ajudar a esposa, seduziu-a, transformando sua ajuda num caso que passou a ter, por dois anos, com a mulher casada. A esposa foi aconselhada por sua terapeuta a contar para o seu marido, o que ela terminou fazendo, e o marido revoltado, junto com outros maridos e esposas, terminou por tirar satisfações do guru. Prem Baba não desmentiu a história, pelo contrário, declarou-a fato, mas desculpou-se dizendo que foi uma relação consentida e não...

read more

Minhas Crenças

             Existem coisas que a ciência não explica. Como escreveu Wittgenstein: “mesmo que a ciência solucionasse todos os problemas, a minha vida continuaria sem solução”. Por isto existem os mitos, as filosofias e as religiões. Por isto existem as crenças, algumas oriundas de longas reflexões, mero palpite, ou profundas experiências subjetivas. Como vivi experiências místicas, coisas que a ciência não explica e a que a filosofia aceita, mas não explicita, é natural que tenha inúmeras crenças, que marcam minha maneira de viver e ver o mundo. Dentre estas, muitas são partes de teorias pouco difundidas, de visões de místicos ou são partes de doutrinas religiosas. Vamos citar algumas: Acredito que o estado natural de ser é a felicidade, nós, como animais, não podemos diferir essencialmente dos demais que, quando estão saudáveis e bem nutridos,...

read more

Os fins não justificam os meios: os caminhoneiros e o Brasil...

            Os caminhoneiros do Brasil decidiram parar, em protesto pelo preço excessivo do óleo diesel, pela volatilidade dos preços reajustados todo o dia segundo a cotação do dólar e do barril de petróleo, e pela cobrança de pedágio nas estradas de um terceiro eixo suspenso. E passamos a ver, por toda parte, manifestações de apoio aos caminhoneiros, e muitas outras categorias profissionais também protestaram: motoristas de aplicativos, de vans, petroleiros, motoboys, etc. Penso que grande parte deste apoio veio em função de alguns poucos fatores comuns: o desalento com os políticos mergulhados num mar de corrupção; o Governo fraco, impopular e terminal de Temer; a profunda crise econômica, com seus reflexos no desemprego, no empobrecimento da população e na precária situação dos serviços básicos sociais; e por fim a revolta contra ações e propostas...

read more

O Legado de Marx

Hoje, duzentos anos após o nascimento de Karl Marx, ainda cabe escrever sobre marxismo. Como escreveu Jean-Paul Sartre, “o marxismo é a cultura do século XX”, portanto, fica praticamente impossível compreender o século passado sem o referencial marxista. Mas não é só isto. Em pleno século XXI ainda o marxismo é um referencial, não só pela sobrevivência de comunistas de todos os matizes, ainda lutando contra o capitalismo e tentando a revolução sonhada; mas porque muitos conceitos de Marx, mesmo atualizados, não perderam de todo a sua pertinência e importância, ainda mais frente ao neoliberalismo e ao neofascismo contemporâneos. Isto sem falar de que o comunismo real sobrevive, de modo adaptado, alterado e até caricato, em países como Coréia do Norte, China, Cuba, Vietnã e Laos, e ainda vários países com governos comunistas, entre...

read more

Crise e Mudança

             Sempre há algo que, depois de um tempo, começa a incomodar, provocando uma crise, ou seja, um momento de questionamento. A seguir vem a tomada de decisão, ou melhor, a obrigatória atitude de fazer algo que mude o quadro. Em consequência, mudamos o nosso em torno, a nós mesmos, ou ambos. Sempre a crise precede a mudança, portanto, é positiva, no sentido de romper estruturas arcaicas, já carcomidas, e de fazer nascer o novo, independentemente de como seja. É bom mudar, nem que seja para quebrar a monotonia da mesmice. Mas as grandes crises provocam rompimentos, atritos, desgaste, stress, loucura, depressão, ataques de fúria, enfim, possuem um alto custo, de modo que nem sempre estamos dispostos a pagar o preço. Nesta lista estão nascimento e morte, casamento e separação, divórcio, novo emprego, demissão,...

read more

O planeta Terra e os humanos

  Mantenho, um tanto a contragosto, um debate interno e com meus amigos, sobre se o mundo melhora ou piora. E, otimista que sempre fui, estou perdendo o debate para mim mesmo, já que estou, cada vez mais, me inclinando para o pessimismo. Porém, no fundo acho que este debate é descartável, porque não interessa se o mundo melhora ou piora, já que o bem e o mal se alternam no tempo, embaralhando as causas e as consequências. Não interessa para onde vamos, já que não sairemos do momento presente e de nossa atual circunstância. Importa sim é o que estamos fazendo hoje, agora e aqui. Eu, por exemplo, gostaria de melhorar o mundo e enriquecer o futuro dele, mas não contribuir para piorar as coisas já é uma contribuição importante. Considerando um planeta...

read more
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com