Carta aberta aos bolsonaristas

Se você não é um dos chamados “olavistas”, e apoia o presidente Bolsonaro apenas porque o seu Governo vem concedendo a ajuda de R$ 600,00 mensais aos prejudicados pela pandemia de Covid 19, ou porque, como pequeno ou médio empresário, recebeste um empréstimo bancário com juros baixos, por conta da ação governamental, ou ainda porque, como religioso praticante, comunga da visão conservadora sobre as questões morais, convido a que reflita o que se segue. Mesmo que você considere que o fechamento da indústria e do comércio, por decisão de governadores e prefeitos, em função do enfrentamento da pandemia Covid 19, tenha sido a causa do colapso financeiro de muitas empresas e da crise econômica sem precedentes em nosso país, cabe lembrar que: é falso o dilema de crise econômica versus isolamento social pois, a...

Leia Mais

Pandemia e Aprendizado

Muito vem se escrevendo e falando sobre a pandemia do covid-19, mas mais ainda se pode dizer. Alguns falam que o coronavírus nos ensinou que todos estamos no mesmo barco, ou melhor, mesmo planeta, e que somos iguais, porque ricos e pobres padecem com ele. Diz-se que num sistema de saúde (público e privado) em colapso, mesmo os ricos não conseguirão ser atendidos se o necessitarem, porque haverá superlotação nos hospitais e faltarão insumos médicos, pessoal e equipamentos. Porém, vejo um tanto diferente. O vírus obrigou-nos a nos distanciarmos uns dos outros, entretanto, o indicativo de evitar ajuntamentos e multidões se aplica diferentemente entre ricos e pobres. Favelados que vivem em barracos não conseguirão manter distância de seus familiares e vizinhos, e tampouco possuirão tecnologia de informação e entretenimento que lhes permitam enfrentar uma...

Leia Mais

Repensando o Budismo

Desde a minha adolescência, em diferentes períodos de minha vida, estive em contato com o Budismo. Sempre pensei ser o Budismo a filosofia religiosa mais próxima de minha visão da vida e de mundo. Nunca me considerei budista, por não possuir as três joias (Buda, Dharma e Sangha), ou seja, seguir um Mestre, conhecer a doutrina e praticá-la junto a uma comunidade budista. E, apesar de conhecer o Dharma (a doutrina) em suas linhas básicas, nunca me associei a um Mestre, me entreguei a uma prática disciplinada ou me integrei a uma comunidade. Mas, mesmo assim, no meu coração me considerava budista. Porém, agora, vejo que tenho concepções distintas da visão budista em alguns aspectos, como se sentisse a necessidade de “modernizar” a doutrina ou mesmo de adaptá-la ao meu ponto de vista. Mas...

Leia Mais

Ser ou Não-Ser

  Vivemos sempre como se fôssemos o centro do universo. Nosso ego é algo que nos faz maus, porque somos egocêntricos e egoístas, o que nos faz considerar os outros como secundários. E quanto mais distância econômica, cultural e social, mais indiferentes ou avessos nos tornamos aos que nos são diferentes. Os que professam outras crenças, e ideologias, os que possuem outra opção sexual ou identidade de gênero, os que falam outras línguas ou nasceram com outra cor de pele, enfim, tudo e qualquer coisa nos afasta do outro, nos impedindo de sermos altruístas, desapegados e amorosos. O nosso ego dificulta em nós o sermos humildes, reverentes e gratos. E quando somos obrigados a prestar culto a algo, reconhecendo alguém maior que nós, tendemos a não saber fazer prostrações ou dobrar os joelhos. É claro que...

Leia Mais

O Chile e o Neoliberalismo

No Chile, a ditadura sanguinária de Augusto Pinochet derrubou um Governo de esquerda, democraticamente eleito, para implantar a primeira experiência radicalmente neoliberal do planeta, depois seguida por Margaret Tacher na Inglaterra e Ronald Regan nos EUA. Na época foi implantado no Chile um modelo de Estado mínimo, através da privatização da educação, da saúde e da implantação de uma Previdência sob o regime de capitalização. Hoje no Chile os aposentados ganham menos que o salário mínimo, a população não tem saúde pública e tampouco recursos para bancar a saúde privada, e os estudantes mais pobres são obrigados a buscar crédito educativo, com o qual se formam para enfrentar uma dívida impagável com os grandes bancos. Dizia-se que o Chile deveria ser modelo ao mundo, e o ministro Guedes, no Brasil, quer transformar o Brasil...

Leia Mais

O Brasil e o tiro no pé

Tenho para vocês uma boa e uma má notícia. A boa é que o presidente Bolsonaro não conseguirá se reeleger. A ruim é que isto ocorrerá porque a economia não sairá de sua modorra. O resultado ruim terá contribuição externa: se avizinha uma recessão nos EUA e Trump terá dificuldades de se reeleger, a economia chinesa começou a definhar, a Alemanha também está entrando em recessão, e a Inglaterra, com o brexit, andará para trás. Como os argentinos votaram na direita, com Macri, e ele perdeu as prévias eleitorais, sinalizando a volta da esquerda de Cristina Kirchner com Alberto Fernandéz, Bolsonaro deve colocar as barbas de molho, pois por aqui não deverá ser diferente. Bolsonaro ofendeu nossos vizinhos, tentando apoiar Macri, mas seu tiro saiu pela culatra, porque seu “apoio” terminou por favorecer o...

Leia Mais

Esperança e Espera

Por que esperança tem a ver com espera, se esperar é desesperar-se, enquanto o tempo passa parecendo não passar? Quando espero vivo num futuro desejado, mas em geral o futuro ignora os desejos através de circunstâncias imprevistas. Se formos realistas e previdentes podemos antever o que chamamos de imprevisto, mas acidentes acontecem e nos pegam desprevenidos. Além disto, certezas futuras, como a da morte, são ignoradas no dia a dia, para não macular o presente com um indesejado futuro certo, mas incerto na hora, devida ou indevida. No fundo a questão da esperança e da espera implica outras duas questões: os desejos e a administração do tempo. Se não desejarmos fica difícil se estressar com o rumo dos acontecimentos, já que o que quer que aconteça faz parte do possível. Sem desejos, viajamos pelo...

Leia Mais

O Falso Liberalismo ou o Fascismo Disfarçado...

No Brasil as siglas partidárias em geral não expressam os nomes dos partidos que representam, são enganadoras. O PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) apesar do nome de centro esquerda, abriga alas de centro direita, com liberais progressistas e democratas cristãos, e hoje, com João Doria (SP), Eduardo Leite (RS) e Nelson Marquezan (Porto Alegre), desponta como grande representante do neoliberalismo no país. Deputados abrigados num Partido Trabalhista votam contra os interesses dos trabalhadores, como os do PDT que votaram a favor da Reforma da Previdência que diminuirá o valor da aposentadoria dos mais pobres. Na época da ditadura militar, o PFL (Partido da Frente Liberal) era de situação, ou seja, pseudo liberais no Brasil apoiavam a ditadura. E hoje, com o Governo Bolsonaro, temos no poder um falso liberalismo. Os Chicago Boys, que...

Leia Mais

O Sorriso Amarelo

Nada representa melhor nossa vida do que o “riso amarelo”. Amarelo não porque é uma obra de Van Gogh, mas porque o que mais fazemos na vida é engolir em seco, dar a volta por cima e sorrir amarelo, como que dizendo: que fazer? Não que nada possa ser feito, sempre fazemos tudo o que é possível, mas nem tudo está ao nosso alcance, por exemplo, a opinião pública predominante, refletida nos políticos escolhidos pelo voto e que exercem o poder, e a mídia que faz o jogo dos fortes. Como vivemos numa era de extremos, fica cada vez mais difícil o diálogo, o consenso, o entendimento, por isto se diz que a democracia está em risco. Mas o riso amarelo é também a resposta ao fato de que os privilegiados sempre escapam, no...

Leia Mais

Sobre a perda da verdade

Em um mundo em que predomina a mentira, o ódio, os abismos sociais e a destruição da natureza, sobra pouco espaço para o otimismo. Não que não tenhamos avançado em muitos aspectos que nos faziam sorrir esperançosos, mas o fato de que os avanços venham encontrando recuos e retrocessos nos fazem franzir a testa, quando não chorar desesperados. Afinal, se não garantirmos melhoras para o futuro, em que mundo viverão nossos netos? É claro que o amor não é manchete e que a mídia propaga mais as notícias aterradoras. Mas a piora não é só na qualidade, como também na quantidade, a violência, a crueldade e o genocídio volta e meia se tornam corriqueiros. E no cotidiano tende cada vez mais a imperar a discriminação, o preconceito e o atraso. As ilhas conservadoras não...

Leia Mais

O Controle da Raiva

Vivemos tempos de discórdia, em que a violência aumenta no mesmo nível em que aumentam a radicalização e a incapacidade de diálogo. Daí ser pertinente pensar na prática budista que prega o adaptar-se às circunstâncias e o não responder a elas pela raiva. O mestre Bodidharma afirma que todos deveriam aceitar os acontecimentos nefastos sem reclamar de injustiça, considerando que não sabemos que karma trazemos do passado, ou melhor, que ações fizemos que produziram os frutos que estamos colhendo agora. Concordo de que é aconselhável não se perturbar com as adversidades, porém, discordo da visão de que estamos aqui para purgar culpas, e que a melhor resposta seria a aceitação, o que daria à Marx razão quando afirma que “a religião é o ópio do povo”. Até podemos estar colhendo erros do passado, mas...

Leia Mais

A Democracia sob Ataque

A extrema direita, assim como a extrema esquerda, sempre teve vocação autoritária; com o Governo Bolsonaro não é diferente. São pilares básicos da democracia eleições livres, separação entre os poderes, liberdade de imprensa, garantia dos direitos individuais e da livre manifestação do pensamento. Isto implica na existência de uma oposição coexistindo com a situação dentro das regras democráticas, ou seja, dialogando sobre os rumos da Nação. Quando um presidente ataca a imprensa por fazer o seu papel, debocha e ofende os estudantes universitários que protestavam com justiça sobre os cortes de verbas na educação e na pesquisa científica, e compartilha nas redes sociais publicações que defendem o fechamento do Congresso Nacional e da Suprema Corte do país, está apostando no golpe e num Governo ditatorial. Bolsonaro insufla seus seguidores a saírem às ruas no...

Leia Mais

Bolsonaro e a estratégia das abobrinhas...

O colunista Bruno Boghossian acertadamente aponta que “Bolsonaro quer consertar a geladeira enquanto a casa pega fogo”, ou seja, quer administrar picuinhas e não o essencial. A economia patina, a renda cai, em janeiro e fevereiro as pessoas compraram 5,2% a menos de itens básicos, a taxa de desemprego é mais que o dobro da média mundial (12,5% em 2018), o Brasil é o 9º país mais desigual do planeta, o meio ambiente se deteriora a olhos vistos, enquanto vemos ações do presidente como: 1.     Extinguir o horário de verão; 2.     Censurar (inconstitucionalmente) uma peça publicitária do Banco do Brasil por abordar a diversidade,  público-alvo da propaganda; 3.     Retirar os Cursos de Sociologia e Filosofia das Universidades Federais e dos auxílios de pesquisa do CNPQ e CAPES; 4.     Atenuar a infração aos motoristas infratores; 5.    ...

Leia Mais

Quase uma Oração

A vida é linda, apesar do sofrer predominar dentro dela. É que mesmo que surjam problemas e dificuldades, crises e períodos de pobreza e luto, os momentos de alegria estão juntos deles, porque muito pouco nos basta para nos fazer rir e felizes. É suficiente olhar à volta, ver a luz do Sol, as cores nas flores e árvores, ver os rios correrem, o mar encontrando a areia e as pedras, o lago refletindo a Lua, fazendo a noite clara, enfim, basta olhar. Depois, é ter a atitude não lamuriosa ou rabugenta, que reflete frustração e descontentamento. É fácil, é só esvaziar a máquina dos desejos, é só substituir o que se quer pelo que se planeja e constrói, de modo a viver a alegria de contribuir, investir e fazer melhor. Mesmo sem ser...

Leia Mais

Ano Novo Astrológico

Feliz Ano Novo! Sim, porque foi ontem, dia 20 de março às 18h 58m, que o Sol cruzou o Equador do hemisfério sul ao hemisfério norte, dando início à primavera para o andar de cima e ao outono para nós. Como para o homem pré-histórico o inverno lembrava as glaciações, sempre havia o medo de que o frio perdurasse dando cabo da vida. Por isto o outono-inverno nos mitos está associado à morte e a primavera-verão à vida, daí que o equinócio de 21 de março (neste ano caiu no dia 20) representa a passagem da morte (inverno) à vida (primavera), ou seja, simboliza a ressurreição. Osíris, Jesus e todos os heróis que morreram e ressuscitaram, eram festejados nesta data, associada às festas de fertilidade (chegada da primavera, início do plantio) e, no calendário...

Leia Mais

O clã Bolsonaro e a bandidagem...

Causa espanto que com Bolsonaro, sua família, seu partido e seu Governo, esteja acontecendo o que já aconteceu com Collor de Mello e o PT. Ou seja, ganha-se a eleição com um discurso anticorrupção e, pouco tempo depois, começam a aparecer fatos que demonstram que os eleitores foram ludibriados. Está na mídia: O deputado Onix Lorenzoni, que já admitiu ter recebido caixa 2 da JBS, e está hoje chefe da Casa Civil do Governo Bolsonaro, pagou, através de seu Gabinete, R$ 492 mil a empresas de contabilidade e consultoria tributária de seu amigo e filiado ao DEM, Cesar A. F. Marques. A Prefeitura de Porto Alegre e o Conselho Regional de Contabilidade estão fazendo uma auditoria nas empresas de Marques: Office RS Consultoria Sociedade Simples Ltda. ​O deputado Luciano Bivar (PE), presidente do PSL...

Leia Mais

Aberração consumista: abaixo as marcas...

Em tempo de crise econômica, quando o número de negativados cresce exponencialmente, é claro que, consequentemente, caem o número dos consumidores. Todos apertam o cinto para atravessar a crise, agravando-a mais ainda, já que apertar o cinto significa consumir menos ou não consumir. Parece óbvio que a sociedade pós-moderna, baseada no consumismo desenfreado, em que todos tentam ser felizes na hora da compra, preenchendo um vazio existencial feito de superficialidades e banalidades, estaria fadado ao fracasso, já que o planeta não aguentaria tal modelo, se adotado pela humanidade inteira. Mas, por enquanto, o capitalismo neoliberal e o avanço da direita no mundo demonstram que o consumismo terá ainda fôlego para perdurar por um bom tempo. De outro lado, em livros de Marketing encontramos uma pirâmide dos tipos de consumidores e, absurdamente, não me vi...

Leia Mais

O Brasil em marcha à ré

De início cabe esclarecer que não sou petista (nunca fui) e nem comunista, portanto, o que irei escrever não é bruxaria. Tenho pensado no tempo da ditadura militar, quando eu amava o meu país e tinha vergonha de ser brasileiro. Hoje me dou por conta que, apesar de continuar amando o meu país, voltei a sentir vergonha dele. Vejo que estamos entrando numa fase complicada, feita de passos atrás, como se, arrependidos dos avanços que tivemos, quiséssemos retroceder e reescrever a história. O Governo Bolsonaro foi eleito baseado num discurso falso, de que existe uma ameaça comunista, quando não existe mais guerra fria e a URSS acabou. No Brasil os partidos “comunistas” são comunistas só no nome, pois quando eleitos jogam o jogo que jogou o PT, ou seja, respeitam a democracia e suas...

Leia Mais

Relato de Vida

Quando escutamos ou lemos relatos sobre a experiência de quase-morte, em geral aparece neles a narrativa de que, na transição da vida para o mundo do além, vemos nossa vida, do nascimento à morte, como num filme tridimensional, em que estamos em cena e ao mesmo tempo assistimos, como nos sonhos. E todos dizem que o foco não é o que fizemos, e sim a repercussão nos outros do que fizemos, e que pequenos gestos podem se revelar mais importantes que grandes feitos. Isto é interessante e deve ser levado em consideração quando pensamos em escrever nossa autobiografia, ou seja, pensar na repercussão nos outros equivale a pensar no público leitor. Para quem se escreve: para quem lê ou para nós mesmos? Escrever para nós mesmos é válido e extremamente transformador e importante, porque...

Leia Mais

Autocontrole e Maturidade

O psicólogo C. G. Jung defendeu que o processo de individuação se dá, não só por terapia e auto esforço, mas também ao natural, pelo passar do tempo, pela maturidade. Para ele individualizar-se equivalia a se tornar mais completo, incorporando a si aquilo que algum dia não reconhecemos como nosso, ou que reprimimos ou rejeitamos como a encarnação do mal. Assim, a sabedoria dos mais velhos implica na aceitação deles de que “nada que é humano lhes é estranho”, que eles são ou foram capazes de tudo e qualquer ato, por mais tresloucado ou transgressor que fosse. Isto significa também compreender melhor a diversidade das pessoas e aceita-las como são, ou pelo menos compreende-las no sentido de tolerar suas ignorâncias, infantilidades, maledicências e agressividade. Mas a sabedoria dos mais velhos também se faz com...

Leia Mais
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com