Minhas Crenças

             Existem coisas que a ciência não explica. Como escreveu Wittgenstein: “mesmo que a ciência solucionasse todos os problemas, a minha vida continuaria sem solução”. Por isto existem os mitos, as filosofias e as religiões. Por isto existem as crenças, algumas oriundas de longas reflexões, mero palpite, ou profundas experiências subjetivas. Como vivi experiências místicas, coisas que a ciência não explica e a que a filosofia aceita, mas não explicita, é natural que tenha inúmeras crenças, que marcam minha maneira de viver e ver o mundo. Dentre estas, muitas são partes de teorias pouco difundidas, de visões de místicos ou são partes de doutrinas religiosas. Vamos citar algumas: Acredito que o estado natural de ser é a felicidade, nós, como animais, não podemos diferir essencialmente dos demais que, quando estão saudáveis e bem nutridos,...

Leia Mais

Os fins não justificam os meios: os caminhoneiros e o Brasil...

            Os caminhoneiros do Brasil decidiram parar, em protesto pelo preço excessivo do óleo diesel, pela volatilidade dos preços reajustados todo o dia segundo a cotação do dólar e do barril de petróleo, e pela cobrança de pedágio nas estradas de um terceiro eixo suspenso. E passamos a ver, por toda parte, manifestações de apoio aos caminhoneiros, e muitas outras categorias profissionais também protestaram: motoristas de aplicativos, de vans, petroleiros, motoboys, etc. Penso que grande parte deste apoio veio em função de alguns poucos fatores comuns: o desalento com os políticos mergulhados num mar de corrupção; o Governo fraco, impopular e terminal de Temer; a profunda crise econômica, com seus reflexos no desemprego, no empobrecimento da população e na precária situação dos serviços básicos sociais; e por fim a revolta contra ações e propostas...

Leia Mais

O Legado de Marx

Hoje, duzentos anos após o nascimento de Karl Marx, ainda cabe escrever sobre marxismo. Como escreveu Jean-Paul Sartre, “o marxismo é a cultura do século XX”, portanto, fica praticamente impossível compreender o século passado sem o referencial marxista. Mas não é só isto. Em pleno século XXI ainda o marxismo é um referencial, não só pela sobrevivência de comunistas de todos os matizes, ainda lutando contra o capitalismo e tentando a revolução sonhada; mas porque muitos conceitos de Marx, mesmo atualizados, não perderam de todo a sua pertinência e importância, ainda mais frente ao neoliberalismo e ao neofascismo contemporâneos. Isto sem falar de que o comunismo real sobrevive, de modo adaptado, alterado e até caricato, em países como Coréia do Norte, China, Cuba, Vietnã e Laos, e ainda vários países com governos comunistas, entre...

Leia Mais

Crise e Mudança

             Sempre há algo que, depois de um tempo, começa a incomodar, provocando uma crise, ou seja, um momento de questionamento. A seguir vem a tomada de decisão, ou melhor, a obrigatória atitude de fazer algo que mude o quadro. Em consequência, mudamos o nosso em torno, a nós mesmos, ou ambos. Sempre a crise precede a mudança, portanto, é positiva, no sentido de romper estruturas arcaicas, já carcomidas, e de fazer nascer o novo, independentemente de como seja. É bom mudar, nem que seja para quebrar a monotonia da mesmice. Mas as grandes crises provocam rompimentos, atritos, desgaste, stress, loucura, depressão, ataques de fúria, enfim, possuem um alto custo, de modo que nem sempre estamos dispostos a pagar o preço. Nesta lista estão nascimento e morte, casamento e separação, divórcio, novo emprego, demissão,...

Leia Mais

O planeta Terra e os humanos

  Mantenho, um tanto a contragosto, um debate interno e com meus amigos, sobre se o mundo melhora ou piora. E, otimista que sempre fui, estou perdendo o debate para mim mesmo, já que estou, cada vez mais, me inclinando para o pessimismo. Porém, no fundo acho que este debate é descartável, porque não interessa se o mundo melhora ou piora, já que o bem e o mal se alternam no tempo, embaralhando as causas e as consequências. Não interessa para onde vamos, já que não sairemos do momento presente e de nossa atual circunstância. Importa sim é o que estamos fazendo hoje, agora e aqui. Eu, por exemplo, gostaria de melhorar o mundo e enriquecer o futuro dele, mas não contribuir para piorar as coisas já é uma contribuição importante. Considerando um planeta...

Leia Mais

Amar e Servir

Todos nós deveríamos, em algum momento, exercer uma atividade que nos fizesse servir os outros. No poema “Tabacaria”, um heterônimo de Fernando Pessoa pensa que “se casasse com a filha da lavadeira, seria feliz”. Isto porque teria uma esposa que veria o mundo de modo simples, sem complicações. Talvez por isto sempre me senti atraído pelas garçonetes sorridentes. Se elas sorriem e estão felizes em serem gentis e servir, certamente saberão melhor amar a quem amam, e a se sentirem plenas com pouco, já que aparentam não serem afetadas por seus baixos salários. Quisera eu ser assim, satisfeito com o que tenho e recebo, grato com a oportunidade de fazer alguém sorrir e ser feliz, servindo. Que é o amor senão um tipo de serviço? Palavras lindas e poéticas não declaram um amor mais...

Leia Mais
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com